Presidente do IPG indignado com o desfecho do processo sobre a transferência de verbas para os Politécnicos

O presidente do Politécnico da Guarda mostra-se indignado com o desfecho do acordo alcançado com o Ministério das Finanças para a transferência de verbas. Este processo tem vindo a arrastar-se nos últimos meses, e na semana passada foi alcançado um acordo entre o CCISP – Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos e o Ministério das Finanças, que se traduz na prática, numa redução de um terço do valor a transferir. Constantino Rei, presidente do IPG fala de uma proposta desonesta feita por parte do Governo. O presidente do IPG mostrou-se desagrado com a posição tomada por parte do CCISP, e refere que este órgão fez um mau trabalho e acabou por perder credibilidade.

Para Constantino Rei o mais grave ainda, foi o facto de algumas instituições de ensino superior politécnico terem recebido verbas no final de Dezembro, que supostamente não deveria ter acontecido. O Presidente do IPG falou de uma instituição, que terá recebido nessa altura, um milhão de euros. Constantino Rei fala ainda de alegas pressões políticas, feitas por parte dessa instituição.

O presidente do IPG está agora expectante com o que vai acontecer neste ano, é que a situação repete-se com o incremento de despesas por decisões legislativas.