O Presidente da Concelhia do PSD da Guarda diz que não é parte interessada da decisão do Conselho de Jurisdição Distrital do PSD, referente ao processo de eleição para a mesa do plenário da seção

O presidente da seção politica do PSD da Guarda já reagiu à decisão do conselho de Jurisdição Distrital, em que considera apenas válida a candidatura de António Júlio Aguiar no ato eleitoral de Junho do ano passado para a mesa da concelhia. Tiago Gonçalves diz que o órgão a que presidente, não é parte interessada no processo e acrescenta que foi simpaticamente notificado da decisão da jurisdição distrital do PSD da Guarda.

Este processo remonta a abril do ano passado, com as eleições à mesa da seção, na altura surgiram duas listas, uma encabeçada por Alfredo Seixas Freire, militante número um do concelho da Guarda e a outra por António Júlio Aguiar. Como se sabe o ato eleitoral resultou num empate e em junho a sufrágio surgiu uma nova lista liderada por Fernando Madeira tendo-se mantido a lista de António Júlio Aguiar. O resultado deste ato eleitoral ditou a vitória de Fernando Madeira, mas António Júlio Aguiar pediu a impugnação do mesmo, por entender que se tratava de um desempate, podendo apenas irem a sufrágio as listas que se apresentaram em Abril. Recentemente o Conselho de Jurisdição Distrital, com base num parecer do Conselho de Jurisdição Nacional do PSD, deu razão a António Júlio Aguiar.

Confrontado com estes factos, Tiago Gonçalves, Presidente da seção do PSD da Guarda, diz que foi notificado da decisão referindo que não é parte interessada no processo, contudo o presidente dos Social de Democratas do concelho da Guarda, diz que a lista encabeçada por Fernando Madeira poderá ter a intenção de recorrer da decisão. Tiago Gonçalves diz que aguarda que com expetativa se vai, ou não haver recurso, por parte da lista encabeçada por Fernando Madeira da decisão do Conselho Distrital de jurisdição do PSD da Guarda, que teve por base o parecer do órgão nacional dos Social Democratas. Para já o Presidente da concelhia do PSD da Guarda considera que Fernando Madeira é o líder legítimo da mesa do plenário da seção. Tiago Gonçalves, diz que não tem que retirar qualquer ilação política da decisão do Conselho de Jurisdição distrital do PSD, o líder Social Democrata diz que esse tipo de conclusões só se retiram do trabalho e de resultados de atos eleitorais. (ouvir aqui)