Os enfermeiros da ULS da Guarda estiveram em protesto esta manhã na Alameda de Santo André

Os enfermeiros da ULS da Guarda estiveram em protesto esta manhã. Cerca de 60 profissionais de saúde concentraram-se na Alameda de Santo André para reivindicar as 35 semanais para todos, progressão na carreira e reconhecimento da especialidade. Esta manifestação convocada espontaneamente teve uma adesão na ordem dos 80 por cento, de acordo com os manifestantes.

Rui Paixão recordou as reivindicações que levaram os enfermeiros a fazer este protesto. O enfermeiro salientou que os profissionais deste sector na Guarda também estão demonstrar a revolta que a classe sente.

Paula Nobre, também referiu à Rádio F que a classe está a lutar por uma carreira digna, a enfermeira salientou ainda, que os enfermeiros estão a assegurar os serviços mínimos, apesar deste protesto de âmbito nacional

Por sua vez, o conselho de Administração da ULS da Guarda, numa em conferência de imprensa, abordou o protesto dos enfermeiros, Isabel Coelho presidente do C.A. da ULS da Guarda, avançou com os números de 31 a 37 por cento de adesão por parte destes profissionais, sendo os serviços de internamento os mais afectados.

Os enfermeiros da ULS da Guarda estiveram em protesto esta manhã na alameda de santo André, amanhã juntam-se à manifestação nacional, que está marcada para Lisboa.