Organização Mundial de Saúde recomenda uma menor instrumentalização nos Partos, Enfermeira Diretora da ULS da Guarda refere que estas recomendações aplicam-se a mulheres saudáveis, com gravidezes normais

A Organização Mundial de Saúde apontou algumas medidas para uma menor interferência no Trabalho de Parto, a Enfermeira Diretora da ULS da Guarda recorda que se tratam de recomendações e só aplicáveis a mulheres saudáveis, com gravidezes normais. Nélia Faria refere estas orientações por parte da OMS, têm como objetivo diminuir a interferência no trabalho de Parto, mas recorda que só se devem aplicar em casos de mulheres saudáveis e com gravidezes normais. Nélia Faria falou ainda de algumas práticas feitas, e que a Organização Mundial de Saúde as classifica agora, como não recomendáveis, como o uso de medicamentos para aumentar as contrações, manter as mulheres de parto na cama, o uso por rotina do registo de contrações e batimentos cardíacos e a tricotomia púbica.

A Enfermeira Diretora da ULS da Guarda aconselha no entanto, a questionar a equipa clinica que assiste as parturientes sobre estas recomendações apontadas pela OMS.