Opiniões divergentes entre os vereadores socialistas, sobre a atuação do Governo em relação à Guarda

O vereador do partido socialista na Câmara da Guarda diz que o Governo do PS, apoiado pelos partidos de esquerda e liderado por António Costa, tem de investir mais no interior do país e estar atento aos problemas que afetam as populações, nomeadamente com a falta de recursos na saúde e também com a não abolição das portagens nas ex-scut. Neste último caso, Eduardo Brito diz que compete ao Governo dar sinais claros no apoio ao investimento e acrescenta que o PS está envolvido nesta luta contra as portagens e só se calará quando os pórticos forem abolidos na totalidade.

Eduardo Brito adianta que o ministro do planeamento e das infraestruturas tem de ser mais corajoso e que as portagens terão de ser abolidas, com ou sem Pedro Marques no Governo. No que diz respeito à saúde, Eduardo Brito diz que o Governo não está a cumprir com o que prometeu à Guarda, uma vez que o ministro ainda não visitou o hospital da cidade. O vereador do PS na Câmara da Guarda acrescenta que o Governo tem de explicar esta falta de investimento no hospital da cidade. Declarações de Eduardo Brito, vereador no PS na Câmara da Guarda a reclamar mais investimento do Governo no interior do país.

Curiosamente o também vereador socialista, Pedro Fonseca tem uma opinião diferente. O líder da distrital do PS, diz que não há memória de um Governo que tenha investido tanto no interior como o atual liderado por António Costa. Pedro Fonseca defende o atual Governo e diz que, o que está a acontecer são interferências de outras forças partidárias que querem encontrar problemas que não existem.

Opiniões diferentes dos dois vereadores socialistas na Câmara da Guarda. Pedro Fonseca diz que não há memória de um Governo que tenha investido tanto no interior como o atual liderado por António Costa. Já Eduardo Brito afirma que o Governo não está a cumprir com o que prometeu e que tem de explicar esta falta de investimento no hospital da cidade. Eduardo Brito deu ainda como exemplo as portagens e sublinhou que as mesmas terão de ser abolidas com ou sem o ministro Pedro Marques no Governo.