O número de alunos no IPG aumentou nos últimos dois anos devido à aposta na internacionalização, referiu Constantino Rei

O Presidente do Politécnico da Guarda diz que só nos últimos dois anos do seu mandato, que está a chegar ao fim, foi invertido o decréscimo de entrada de alunos no IPG. Constantino Rei recorda que o auge do número de alunos foi atingido no ano de 2000, com 4200 alunos, e até há dois anos para cá, tem vindo sempre a descer, enquanto outros politécnicos conseguiram inverter a queda, mais cedo. Constantino Rei diz que o IPG deveria ter apostado na internacionalização mais cedo, o presidente do Politécnico da Guarda faz a comparação com a instituição de Bragança que apostou mais cedo na captação de alunos estrangeiros e agora está a recolher os frutos.

O Presidente do IPG em fim de mandato diz ainda que, durante o período que esteve à frente do Politécnico da Guarda, teve três grandes desafios de ordem organizacional, a alteração do regime jurídico das instituições do ensino superior, a criação da Agência de acreditação do ensino superior e a alteração do estatuto da carreira docente. Constantino Rei está em fim de mandato e não volta a recandidatar-se por imposição da lei, a eleição do novo presidente está marcada para outubro.