Líder da concelhia do PS da Guarda concorda com a alteração de dois anos de militância, para os militantes se poderem candidatar aos órgãos federativos e nacionais do Partido Socialista

O presidente da Concelhia do PS da Guarda concorda com a proposta que prevê um período de carência de 2 anos aos militantes que se candidatem aos órgãos federativos e nacionais do Partido Socialista. Esta alteração estatutária deverá ser apresentada no congresso Nacional do PS, que se realiza no último fim-de-semana deste mês.

Agostinho Gonçalves em concorda com esta proposta, mas entende que é necessário que o Partido clarifique as suas regras. O líder da Concelhia do PS da Guarda recorda que no passado já houve este período de 2 anos de carência e foi alterado para 6 meses, Agostinho Gonçalves pede estabilidade para os estatutos do PS. Agostinho Gonçalves criticou ainda, quem no passado apoiou a alteração de 2 anos de militância válida para 6 meses.

O presidente da concelhia da Guarda do PS refuta a ideia que esta alteração o possa deixar fragilizado, Agostinho Gonçalves recorda que em 2006, foi vice-presidente da JS da Guarda. O líder da concelhia também concorda com a alteração que prevê a inscrição automática dos militantes da JS, depois de atingirem o limite de idade de inscrição na Juventude Socialista. Agostinho Gonçalves acrescentou ainda, que não se considera um recém-chegado ao Partido Socialista.