João Pedro Borges, acusou o presidente da Câmara de recordar o passado para achincalhar o partido, Amaro diz que não está a achincalhar apenas a recordar o que acontecia no passado

O deputado do PS na Assembleia Municipal da Guarda, João Pedro Borges, acusou o presidente da Câmara de, e passo a citar, recordar o passado para achincalhar o partido. O socialista abordou o assunto depois de Álvaro Amaro ter dito que o executivo de Joaquim Valente, tinha perdido a possibilidade de colocar o relvado sintético no campo de futebol do Zâmbito. João Pedro Borges não gostou do que ouviu e chegou mesmo a afirmar que no final do mandato de Álvaro Amaro era importante saber qual dos executivos é que recebeu mais receitas de fundos comunitários. O deputado socialista pediu ao presidente da Câmara para não achincalhar o partido.

Na resposta, Álvaro Amaro diz que não está a achincalhar ninguém mas sim a recordar o que acontecia no passado. Com o tom de voz mais exaltado, o presidente da Câmara da Guarda lembrou que o anterior executivo deixou fugir a oportunidade de fazer as estradas nas juntas de Marmeleiro e da Ramela com fundos comunitários.

DSC08040