Hipotética escultura na rotunda da Dorna gerou polémica na reunião do executivo do município da Guarda

O ponto 16 da reunião do executivo da Câmara da Guarda desta semana deverá ser retirado da ordem de trabalhos. Em causa está a colocação de uma escultura na rotunda da dorna. O assunto foi discutido e votado mas, segundo o presidente do Município, a escultura de que se falou não está sequer aprovada, porque não há a garantia de financiamento. Com financiamento, está a base onde deverá assentar a ornamentação da rotunda, mas ainda não se sabe o que ali será colocado. Há de facto uma maquete de uma escultura mas como não há garantia de financiamento o projecto poderá não arrancar.

Só que no ponto da ordem de trabalhos, a escultura seria já um dado adquirido. Os vereadores do PS votaram contra porque consideram que a Câmara tem aqui mais uma verba avultada para ornamentar uma rotunda, como referiu o vereador Joaquim Carreira. O socialista acrescentou que o autarca da Guarda usa sempre a justificação do financiamento a 85 por cento, mas que na verdade acaba sempre por gastar dinheiro.

Para o presidente da Câmara da Guarda este é um não assunto. Álvaro Amaro explica que lhe foi apresentada uma maquete de uma escultura mas que, por enquanto, não tem financiamento garantido. Posto isto, ainda não há um valor exacto para a ornamentação da rotunda da dorna. O assunto volta a ser discutido quando estiver decidido o que ali vai ser colocado.

O ponto 16 da reunião do executivo da Câmara da Guarda desta semana deverá ser retirado da ordem de trabalhos. Em causa está a colocação de uma escultura na rotunda da dorna. O assunto foi discutido e votado mas, segundo o presidente do Município, a escultura de que se falou não está sequer aprovada, porque não há a garantia de financiamento.