A Guarda passa a ter um monumento em homenagem aos combatentes no Ultramar

Foi inaugurado, este fim-de-semana, o monumento aos Combatentes no Ultramar do concelho da Guarda, que se situa no miradouro da Avenida dos Bombeiros Egitanienses e que assinalou os 94 anos do Núcleo da cidade.  O momento ficou marcado pela memória dos que deram a vida em representação do país em Angola, Moçambique ou na Guiné.

O presidente do Núcleo da Guarda da Liga dos Combatentes, João Ferreira, frisou a importância da efeméride para a cidade pelo memorial agora inaugurado.

Também o presidente da Liga dos Combatentes, Joaquim Chito Rodrigues também evocou a história para recordar os que ficaram na Guerra mas também os que regressaram.

Já o secretário de estado da Defesa, Marcos Perestrello relevou a importância de todos os que representaram Portugal na Guerra Ultramarina.

O presidente da Câmara da Guarda, Álvaro Amaro também não esqueceu a escultura desenhada pelo arquitecto António Saraiva e acrescentou que o Miradouro na Avenida dos Bombeiros está agora mais atractivo.

No final de todas as intervenções, a Rádio F falou com António Saraiva. O arquitecto que pensou a escultura explicou os motivos do memorial.