Eduardo Brito ainda não ponderou se vai recorrer da Relação de Coimbra que confirmou a pena da 1ª instância, pelo crime de prevaricação

Eduardo Brito, vereador do PS na Câmara da Guarda, ainda não ponderou se vai recorrer para o Supremo. O Tribunal da Relação de Coimbra confirmou a condenação do socialista a dois anos e dois meses de prisão, com pena suspensa, pelo crime de prevaricação.
Eduardo Brito foi condenado por ter permitido a construção de uma casa em área do Parque Natural da Serra da Estrela quando era presidente da Câmara de Seia.

No final da reunião do executivo da Câmara da Guarda, Eduardo Brito afirmou estar tranquilo e que a decisão do Tribunal não lhe afeta nem a honra nem a dignidade.

Além do antigo edil, estavam acusados um ex-diretor do Departamento de Planeamento, Urbanismo e Ambiente da autarquia e uma ex-secretária da então Junta de Freguesia de Santa Marinha. (ouvir aqui)