A Câmara da Guarda poderá candidatar o “Cobertor de Papa”, a património cultural da UNESCO

A Câmara da Guarda está a estudar a possibilidade de candidatar o “cobertor de papa”, a património cultural da UNESCO. Segundo o autarca Álvaro Amaro, a proposta de elaborar a candidatura do “cobertor de papa”, considerado “um dos produtos mais identitários do concelho” à Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, partiu do vereador da Cultura. O presidente da Câmara da Guarda fez o anúncio após o vereador do PS, Pedro Fonseca ter recomendado a apresentação de uma candidatura do cobertor de “papa” a Património Cultural Imaterial, que necessita de salvaguarda urgente. Pedro Fonseca acrescentou que todas as operações de marketing que a Câmara da Guarda fez com o cobertor de papa, não deram resultados práticos.

Na resposta, o presidente da Câmara da Guarda, Álvaro Amaro diz que em breve vai ser apresentado um conjunto de ações para salvaguardar o cobertor de papa. Uma possibilidade é a abertura de uma escola em conjunto com o museu de tecelagem dos Meios e a Escola de Artes e Ofícios de Maçaínhas. Segundo o autarca, a proposta de elaborar a candidatura do “cobertor de papa”, à UNESCO, partiu do vereador da Cultura, mas considera que devem ser dados passos seguros para não se deixar perder um dos produtos identitários do concelho. Álvaro Amaro reforça que a candidatura só será feita se tiver dados suficientes que a permitam fazer. A Câmara da Guarda está a estudar a possibilidade de candidatar o “cobertor de papa”, a património cultural da UNESCO. (ouvir aqui)

 

Foto: Município da Guarda