António Costa esteve hoje na Guarda a visitar a obra da ligação férrea, entre as linhas da Beira Baixa e da Beira Alta

O primeiro-ministro, António Costa, disse durante uma visita à obra de construção da ligação entre as linhas da Beira Baixa e da Beira Alta, na Guarda, que o investimento na ferrovia vai tornar mais competitiva a economia portuguesa com melhores ligações, mais eficientes, à fronteira e à Europa e, ao mesmo tempo, vai servir e valorizar melhor estes territórios de fronteira, situados no Interior.

António Costa referiu que o investimento nesta linha vai melhorar a economia na região e possibilitar o aparecimento de postos de trabalho. António Costa deixou ainda uma crítica aos anteriores governos. O primeiro-ministro referiu que estas obras e este investimento na ferrovia já deveria ter sido feito há mais anos.

Já o presidente da Câmara da Guarda, Álvaro Amaro não esconde que esta obra é importante para a região mas lembrou o primeiro-ministro de que são necessárias mais medidas estruturais para o interior do país. O primeiro ministro respondeu que existe uma visão integrada para o Interior através do Programa Nacional de Valorização.

A obra de construção da nova ligação ferroviária, que integra a empreitada de modernização do troço entre a Covilhã e Guarda, da Linha da Beira Baixa, prevê a construção de uma via única eletrificada, com 1.500 metros de extensão e a execução de uma nova ponte ferroviária sobre o rio Diz.
Num investimento de 52 milhões de euros, a empreitada de modernização da linha da Beira Baixa, compreende ainda a renovação integral de 36 quilómetros de via e a eletrificação total do troço, entre outras intervenções, como referiu o vice-presidente das Infraestruturas de Portugal, Carlos Fernandes. Já o ministro das infraestruturas e do planeamento, lamentou o atraso nas obras, mas realçou que este troço vai ser muito importante para a economia nacional.

A obra de construção da nova ligação ferroviária, que integra a empreitada de modernização do troço entre a Covilhã e Guarda, da Linha da Beira Baixa, prevê a construção de uma via única eletrificada, com 1.500 metros de extensão e a execução de uma nova ponte ferroviária sobre o rio Diz. Num investimento de 52 milhões de euros, a empreitada de modernização da linha da Beira Baixa, compreende ainda a renovação integral de 36 quilómetros de via e a eletrificação total do troço, entre outras intervenções.