Álvaro Amaro reuniu com os empresários da Confama, com o intuito de esgotar todas possibilidades para evitar o encerramento da empresa

O presidente da Câmara da Guarda diz que o Município vai utilizar todos os meios para evitar que a empresa Confama, Confecções, Lda, de Famalicão da Serra feche as portas e que coloque no desemprego cerca de 70 funcionários. Álvaro Amaro reuniu com os empresários, está já marcado um novo encontro e o autarca quer que se esgotem todas as possibilidades para evitar o encerramento da fábrica.

A empresa deverá estar a encetar novos contactos com empresários, mas há também há possibilidade de outras empresas ficarem com aquele espaço. Uma terceira possibilidade é a empresa fazer um estudo económico para um plano especial de recuperação. Álvaro Amaro diz que a Câmara paga o estudo. O autarca acrescenta que os proprietários da empresa lhe referiram que deixaram de receber encomendas. O autarca diz que também vai tentar saber se há outros empresários do mesmo ramo se estão interessados em investir e manter os mesmos postos de trabalho.

O assunto foi abordado na reunião do executivo. O vereador do PS, Eduardo Brito, refere que a Câmara tem de fazer todos os esforços para evitar o encerramento da fábrica. Já o vereador Pedro Fonseca, também do PS, diz que a Câmara corre o risco de simular a banda do navio Titanic, ir tocando enquanto o barco afunda.

Na resposta, Álvaro Amaro diz que não percebe nada de barcos e desafia os vereadores do PS a visitarem a Plataforma Logística. O autarca diz que desde 2014 já foram vendidos 54 lotes a 22 empresas e que foram ou estão a ser criados 567 postos de trabalho. (ouvir aqui)